domingo, 17 de abril de 2011

Gulosa?

Antigamente, antes de iniciar minha batalha contra a balança, eu me considerada uma pessoa normal no quesito quantidade de alimentos que ingeria. Meus pratos normalmente sobravam comida e minha mãe vivia brigando comigo, dizendo '-Porque você não coloca menos no prato e se quiser repete? Tem tanta gente no mundo passando fome e você joga comida fora!' 

Não sei ao certo porque eu fazia questão de colocar mais do que comia. Era um pouco automático: 2 colheres (daquelas de cozinhar, grandes) de arroz, 1 concha de feijão e um pedaço de carne. Às vezes rolava salada ou então minhas amadas batatas fritas (essa eu preciso admitir que nunca sobraram no meu prato, só quando eu ia ao Mc. Para conseguir comer toda a batata e o hamburguer, eu tinha que comer a batata antes. Pensando nisso agora parece até mentira!).

Depois que comecei a perceber o que eu comia, a contabilizar, economizar e etc eu acho que fiquei um pouco gulosa, como se a comida fosse acabar a qualquer momento. Até mesmo nos dias em que eu largava a R.A. de mão, em que me permitia comer de tudo, não sobrava NADA no meu prato (e ainda não sobra).

Agora visualizem, por exemplo, eu e um potinho de iogurte. Uma pessoa normal come e, se ficar alguma coisinha no fundo, não faz muita questão de ficar raspando, catando cada ml que tem dentro do potinho. Eu? Eu lambo a tampa, raspo o pote, quase como plástico e, se for aqueles de garrafinha, eu viro de cabeça pra baixo e sacudo até escorrer a última gota, como se esse finalzinho fosse o responsável pela minha saciedade, como se eu buscasse ficar empanturrada com aquela mísera gotinha que resta dentro da garrafinha.

Isso não acontece só com o iogurte. Meus pratos de comida podem quase ir de novo para o armário porque não sobra nem um grão de arroz ou um farelo do que for. Vai tudo pra dentro!

Nessas horas eu me sinto meio mal por fazer isso. Me sinto gulosa, sem controle, neurótica e tudo mais. Inclusive, eu termino uma refeição pensando na próxima e na do dia seguinte e do outro... Penso o que será melhor, o que eu posso adaptar e etc. Isso me consome 24hr!

Com vocês também é assim? Tá, eu não tenho nada com o que me preocupar.. Não trabalho, não estudo, não tenho filhos... Passo o dia em casa procurando algo pra comer fazer e eu não queria isso. Eu fico ansiosa e tem vezes que perco até o sono só pensando no café da manhã do dia seguinte.

Perder peso realmente mexeu com a minha cabeça, mudou todo o meu modo de encarar a comida e eu não gosto nada do rumo que isso tomou. Juro que não sei como fazer pra reverter isso! Parece que eu vivo pra comer e não como pra viver...

Acho que ando perdendo peso no lugar errado.. Não é meu corpo que precisa emagrecer mas meu cérebro!

Acho que preciso de um psicólogo.. S:


6 comentários:

  1. HAUHAUAHUHAUHAUHUAHAUHAUAHHAAHAHUHU

    menina eu sou assim! se brincar eu espremo a embalagem pra ver se tem mais uma gotinha hahaha

    na veerdade sempre fui assim, sabe... mas em relação a comida no prato só depois que comecei a dieta que as vezes largo

    tem dias que o apetite não é tão voraz...

    mas quando o desespero é grande, se a comida tiver boa e eu sozinha, lambo até o prato HAHAHA
    *ALOK*

    bjos bjos

    bom final de domingo ;D

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que a mudança deve ter grande responsabilidade pelas atitudes atuais. Casar já é uma mudança enorme na nossa vida, ir morar no exterior aumentou ainda mais o "problema". Vc não tem intenção de trabalhar? Quem sabe fazer um curso de qq coisa que vc goste? Pintura, fotografia, artesanato, sei lá. Vc precisa se ocupar de alguma coisa para não ficar pensando só na comida.
    Se quiser passar o tempo conversando estou aqui, rs.
    Adoro vc!
    Bjokas

    ResponderExcluir
  3. Olá! Estava a ler e a pensar que isso acontece muito comigo. Deitava-me tarde devido às compulsões e todo o meu dia era a pensar na minha alimentação o que devia ou não comer, como compensar as calorias que já tinha ingerido a mais, etc. Estava a dar em louca mesmo. Pedi ajuda a una psicóloga e a um nutricionista. É tudo muito recente e penso na mesma na comida, mas o plano do nutricionista ajuda-me a ter mais controlo e a não me preocupar tanto. beijinho

    ResponderExcluir
  4. Olha, não ria, mas eu já tive momentos em que LAMBIA O PRATO! :S

    Sobre a ansiedade, que tal uma atividade manual, um artesanato... se vc tiver paciencia, claro =]

    ResponderExcluir
  5. kkkkk.. Eu tbem sou gulosa assim! Aind amais se eu tiver de dieta, ai que eu como msm!
    Qndo eu estipulo tempo pra comer, eu contava os minutos.. Eu sinceramente, me sentia uma maluca! Eu tinha nervoso de mim, e raiva!
    Mas agora, ta no automatico, se eu passar um tempo comendo de tantas em tantas horas, eu so sinto fome quando dava esse tempo.
    Mas eu nao te acho maluca, pq qndo eu to sem nada pra fazer eu FAÇO TUDINHO IGUAL a vc.. Acabo de almoçar e logo ja qro fazer a sobremesa e o lanche da tarde, e ja penso na janta e as vezes fico louca pra chegar no outro dia para tomar cafe! ¬¬
    Acredito eu que depende de duas coisas, da ocupação com a cabeça, hj eu nao faço mais, so que antes eu fazia Pilates, meu professor era excelente, faziamos exercicios e analise psicologica ao msm tempo! Hj ja sou ocupada d+ com dois cursos.
    Agora, isso de calcular comida o dia todo, as vezes acho bom e ruim.. é bom nos preocuparmos com o q pomos pra dentro, e se estiver exagerado, acredito q qndo chegamos ao peso ideal, acalmamos e matemos mais calmamente (seria normal assim, né?!)

    Bom, ja flei d+

    Bjinho

    ResponderExcluir
  6. Amiga... sou bem parecida com vc. Acho que já que eu só posso comer aquila quantidade eu tenho que aproveitar toda ela!!

    Quando faço aquela pipoca sem gordura para mim, não deixou o Paulo pegar nadinha.... Acho que o que temos é medo de passar fome... Será??
    bjkas e bom início de semana.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...